Mais notícias

Geral | 24/04/2014 | 13:59

Saúde foi tema da Sessão Temática da Câmara de Vereadores de Herval d’ Oeste

Foram apresentados dados de atendimentos em 2013: 37 mil consultas realizadas, 15 mil atendimentos de enfermagem e 31 mil visitas domiciliares.

Foto: Joce Pereira/Divulgação

A Saúde Pública foi tema da Sessão Temática realizada pela Câmara de Vereadores na noite desta quarta-feira (23). Compareceram a sessão a secretária de Saúde do município Ivone Esquina, a diretora de Saúde Lourdes Cesa, a controladora de Políticas Públicas Leni Sabei, a enfermeira e coordenadora da Atenção Básica Elisangela Schmidt, a enfermeira Marisa Langer, a médica cubana que está trabalhando em Herval d’ Oeste Dorélia Linares, a diretora administrativa da Secretaria Eugenia Bucco e demais profissionais do setor. Também presentes o secretário executivo do Consórcio Intermunicipal de Saúde João Marqueze e a gerente Regional de Saúde Ivanici Peccin.

Durante mais de três horas os problemas que envolvem a Saúde no município foram debatidos. A sessão foi presidida pelo vereador Leonardo Mascarello (PSD) proponente da matéria. A secretária de Saúde Ivone Esquina fez uma apresentação dos trabalhos realizados pela pasta. Informou que o município conta com 8 Estratégias de Saúde da Família (ESFs), uma Unidade Básica de Saúde e um centro de especialidades médicas. Serviço de vigilância sanitária, ambiental e epidemiológica. Em 2013 foram realizados 37 mil consultas, 15 mil atendimentos de enfermagem, 31 mil visitas domiciliares também com atendimento odontológico.

A Secretaria conta com apenas três equipes de Agentes Comunitária de Saúde (ACS), segundo a secretária a defasagem é de 2 equipes de saúde bucal, 18 ACS, cinco técnicos de enfermagem, um enfermeiro e quatro psicólogos e mais dois profissionais no Núcleo de Apoio a saúde da família (Nasf).

Questionamentos

Após a apresentação foi aberto espaço para os vereadores e pessoas presentes a sessão fazerem seus questionamentos. O item mais inquerido foi quanto a falta de medicamentos. Ivone respondeu que com o repasse de R$ 65 mil pela Câmara de Vereadores na gestão do ex-presidente Juarez de Souza (PMDB), foi possível pagar alguns fornecedores e laboratórios e adquirir mais medicamentos e viabilizar exames. A secretária também informou que a falta de recursos é o grande entrave para que o atendimento seja o ideal. “procuramos de todas as formas proporcionar um bom atendimento, mas enfrentamos a falta de verbas que dificulta o nosso trabalho”. Quanto a reclamação de mau atendimento por parte de alguns servidores, ela disse que quando for levado a seu conhecimento tomará medidas cabíveis”.

Em relação a UPA, Ivone informou que inicialmente ela será gerenciada pelo município de Herval d’ Oeste. Este trabalho já vem sendo feito pela equipe da Secretaria de Saúde do município. Ela será gerenciada pelo município de Herval d’ Oeste. Este trabalho já vem sendo feito pela equipe da Secretaria de Saúde do município. A Prefeitura de Herval d’ Oeste vai absorver a folha de pagamento de 31 funcionários entre enfermeiros, técnico de enfermagem, auxiliar administrativo e maqueiros (estagiários). A contratação será via teste seletivo ou concurso público. Estas contratações vão aumentar a folha de pagamento da Prefeitura em 6%. Contando a folha de pagamento dos funcionários, mais dos médicos, despesas com manutenção, limpeza, alimentação, lavanderia, análises clinicas entre outras despesas o custo mensal da UPA será de R$ 400 mil, que deverão ser rateados entre o Governo Federal, municípios e Governo do Estado. Quanto a abertura da UPA tudo depende da liberação dos recursos pelo Ministério da Saúde para aquisição dos equipamentos.

Já em relação a demora para liberar determinados exames como ressonância e tomografia, pois á pacientes na fila entre 5 a 11 meses, Ivone informou que são exames de alto custo e a falta de recursos impede a liberação. “Mas sempre procuramos parcerias como com o Estado para minimizar a situação. Temos uma demanda anual de R$900 mil para aquisição de medicamentos, mas apenas R$ 320 mil para investimentos”.

 

Avaliação

O vereador Leonardo Mascarello disse saber das dificuldades que a Saúde enfrenta, que dizer não as pessoas que procuram por atendimento não é fácil “mas quero dizer também que propomos esta sessão temática porque é ao vereador que o povo vem trazer as suas reclamações, a principal se refere ao mau atendimento, o paciente já chega fragilizado e quando não é bem atendido o quadro piora. A secretária nega este mau atendimento. Então propomos monitorar a Secretaria por meio de videomonitoramento e assim quando houver um incidente poderemos saber a verdade. Outra proposta é o atendimento até as 22 horas que já foi tema de indicação minha e do vereador Gilmar Dri e por fim que todos os exames e consultas sejam por sistema informatizado e que seja interligado entre os ESF’s e a Unidade Central assim é possível acompanhar os atendimentos”.

Mascarello avaliou positivamente a sessão temática. “Esta é a forma correta de agir, trazer os profissionais até aqui para que nos esclareçam as dúvidas, hoje tomamos conhecimento real da situação da Saúde do nosso município com informações prestadas pelos profissionais que estão lá no dia a dia, agora é juntar forças e buscar soluções imediatas, como as quais propus”.

O presidente do Legislativo Everton Parisenti (PMDB) avaliou a sessão como positiva. “Pretendemos sempre que possível trazer a esta Casa os secretários municipais para que nos tragam informações sobre os trabalhos de sua pasta e questiona-los também sobre os problemas. Hoje acompanhamos os trabalhos da Saúde, estamos cientes que há muito para melhorar, mas que também tem muita coisa boa acontecendo como os vários programas da Secretaria que atende todas as faixas etárias. Pretendemos também dar continuidade a ação do ex-presidente vereador Juarez de Souza e devolver recursos para que sejam aplicados na Saúde e em outras áreas que precisam de investimentos”.

Comente