Mais notícias

Geral | 31/03/2015 | 15:20

Herval d’ Oeste pode alterar trânsito na área central

Proposta foi apresentada na Câmara de Vereadores de Herval d’Oeste nesta segunda-feira (30) e teve apoio unânime.

Projeto possibilita que Rua Santos Dumont seja mão única e tenha mais vagas de estacionamento.


 

 

Os municípios coirmãos, Joaçaba e Herval d’ Oeste, possuem juntos uma super frota que ultrapassa os 34 mil veículos. Até o mês de fevereiro deste ano, Herval d’ Oeste possuía, 12.840 veículos, enquanto que Joaçaba o total de 2.2025. O que representa 1,41 veículos por habitante, já que juntas as cidades possuem cerca de 48 mil conforme o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010.

O ritmo do trânsito lento, quase parando, é uma reclamação diária para quem necessita trafegar entre Joaçaba e Herval d’ Oeste. Nos horários de pico, ao meio dia e às 18h, a velocidade média nas principais vias é de 20km/hora, o que normalmente indicado por placas deve ser de 40km/hora. Mais devagar que o fluxo, são as ações para dar mais agilidade à mobilidade a constante frota de veículos que cresce nas cidades.

Mas, parece que de um dos lados do Rio do Peixe, os agentes políticos abriram os olhos para este problema. Durante a noite da segunda-feira (30) uma sessão extraordinária, sem remuneração, foi realizada pela Câmara de Vereadores de Herval d’Oeste para debater mudanças no trânsito e melhoria na mobilidade urbana no município. O encontro contou com a participação de empresários, autoridades, representantes de entidades de classe e comunidade em geral. Os hervalenses Cristiano Mendonça e Junior Celito Brandalise apresentaram um vídeo com a simulação da proposta de reorganização do trânsito, que visa melhorar o fluxo de veículos e valorização do comércio local. “Dei minha contribuição como cidadão”, disse Cristiano ao esclarecer que não possui formação na área, mas dedicou seu tempo para elaborar um estudo viável. “Mais de 100 pessoas colaboraram com a elaboração desta proposta, entre a população, empresários, entidades de classe, etc”.

 

A proposta faz parte de uma coletânea de ideias que estavam engavetadas no município de Herval d’Oeste. “A intenção das alterações é valorizar o comércio e aumentar o fluxo de visitantes pelo município. Além de possibilitar um tráfego melhor para o transporte coletivo e caminhões e aumentar as vagas de estacionamento”, salienta Cristiano, enfatizando que a proposta apresentada de forma voluntária, poderá ser incluído no Plano de Mobilidade Urbana do município. A Lei 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, determina aos municípios o desenvolvimento de Planos de Mobilidade Urbana até abril de 2015.


“Vários imóveis, novos e modernos poderiam estar surgindo neste local que fica bem próximo a tudo que uma família precisa sem ter que utilizar um veículo para ir ao trabalho, as compras, visitar Igrejas ou servir-se de prestadores de serviços”, apontou Cristiano.  “Para a proposta de reorganizar o trânsito de Herval d`Oeste, tentar e falhar é, pelo menos, aprender. Não chegar a tentar é sofrer a inestimável perda do que poderia ter sido”.

 

Dentre as principais alterações, está a transformação em mão única de parte da Rua Santos Dumont, que compreende o início da Travessa Pinheiro Machado até a Padaria Multisabor, com estacionamentos em ambos os lados. (Veja imagem). “A intenção é dividir o tráfego de veículos também com a Rua Nereu Ramos, que hoje é utilizada apenas por quem precisa”, defendeu Cristiano. Pela proposta, a Nereu Ramos será a nova rota do transporte coletivo, os ônibus só vão acessar a Santos Dumont pela Travessa Pinheiro Machado. “Vamos valorizar áreas em que o comércio não se desenvolveu”, disse Cristiano. Nesta área de cerca de um quilometro de via única, existem 48 terrenos, uma prospecção é que possam ser construídos 48 edifícios com capacidade para 1.150 apartamentos, viabilizando 3,5 mil novas moradias.

 

Para desafogar o trânsito na saída da ponte Jorge Lacerda, o estudo aponta como alternativa utilizar a Dorival de Brito e Avenida Beira Rio para chegar à Prefeitura, proibindo a entrada de veículos pela Nereu Ramos (Hotel Lotus). Os idealizadores da proposta apontaram a necessidade da implantação de 77 placas de sinalização, que inicialmente seriam galvanizadas, para testes durante um mês, e que teria custo estimado em R$ 5.230,00. “O setor de planejamento já está realizando estudo de impacto com as mudanças sugeridas, que poderão ser implantadas ainda neste ano”, completou.

 

Outra alteração seria a implantação de mão única em frente a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA 24h) e utilizar a chamada “Volta do Maurício”, na Rua Santos Dumont, como rotatória.

 

Projeto recebeu aprovação unânime

Apesar do prefeito Nelson Guindani não estar presente, o presidente da Câmara Leo Mascarello (PSD), afirmou que ele aprovou o projeto e se comprometeu a executá-lo. “Sabemos que o custo será bem maior, pois teremos que mudar sinalização nas vias, remover postes e implantar lombadas”. Leo assumiu o compromisso de que a Câmara de Vereadores vai colaborar com a devolução de recursos à Prefeitura. “Essa reorganização vai embelezar nossa cidade e valorizar o comércio”, ressaltou.

Os vereadores elogiaram o projeto, porém lamentaram o fato de Joaçaba não participar da reorganização do trânsito, que reflete diretamente nos dois municípios.  Conforme o vereador Adelar Provenci- Kiko- (PSDB), “quando se fala em trânsito, muita gente diz que temos que resolver em conjunto. Tentamos, mas a coisa nunca andou, esta proposta é excelente, devemos testá-la ”.

O vereador Everton Parisenti (PMDB) parabenizou os idealizadores da proposta dizendo que os vereadores estão juntos nesta luta. “Herval d’ Oeste merece, nossa população merece nosso trânsito hoje é caótico e não favorece o desenvolvimento da nossa cidade”. O vereador Jucemar Katchor (PSD) disse que a proposta é muito interessante que além de melhorar o trânsito vai fortalecer o comércio local, promovendo renda, emprego e arrecadação. Vanderlei da Silva (PR) disse não ver alternativa para o trânsito a não ser executar a proposta. “Parabéns aos idealizadores, mostra a preocupação do cidadão hervalense com a nossa cidade, agora esperamos que o Poder Executivo acate esta sugestão”.   

O vereador Sergio do Nascimento, o Serginho (PP) destacou que se o trânsito é organizado o comércio local ganha. “É muito triste ver vários empreendimentos fecharem suas portas e com certeza a falta de mobilidade e acessibilidade é um dos fatores responsáveis”.

 

Patrick Giusti (PSDB) reclamou da ausência do Executivo Municipal e ressaltou que a sugestão apresentada na Casa tem que ser colocada em prática o mais rápido possível. “Que não fique apenas no papel, pois este com certeza é um anseio de toda a nossa população”.

Osni de Ávila (PSD), disse que a proposta levou tempo para ser elaborada e que se mostrou muito eficiente e que merece o reconhecimento dos vereadores. “Espero que o município implante este modelo o mais rápido possível”.

Clair Tessari – Cabelo- (PMDB) frisou que a ideia apresentada se mostrou extremamente eficiente e viável. “Joaçaba não aceita fazer mudanças em conjunto com Herval d’ Oeste, então vamos pensar na nossa cidade e colocar esta ideia em prática”.

“Motivamos duas ou três audiências com Joaçaba. Ficou apenas na conversa, eles não tem interesse”, disse Juarez de Souza (PMDB) acreditando que o comércio do município vizinho não aceite as mudanças por temer um fluxo maior em Herval. “O que tínhamos que estudar já estudamos, o que tínhamos para debater já debatemos, agora é executar, em 10 anos nesta Casa este foi o melhor estudo e trabalho que vi”, finalizou.

“Essa proposta vem ao encontro da nossa necessidade”, apontou Davi Frozza (PSD). “O Ministério das Cidades deu um prazo para que os municípios elaborassem seus planos de mobilidade urbana, e o prazo encerra agora em abril, estamos no limite máximo. Não se trata de exigência, é uma responsabilidade dos municípios, e quem não tiver o plano, não vai conseguir recursos para o trânsito”, informou o vereador.

 

 

 

Imagens do projeto: Cristiano Mendonça

Fonte: Diário do Vale/Paula Patussi
Comente